quarta-feira, 11 de junho de 2008

Maria Rita - Samba Meu

Então, dizem os doutos em aritimética - principalmente aqueles que são ortodoxamente avessos às influências dilacerantes do relativismo - que imediatamente após o "segundo", no sentido de número cardinal, não de medida de tempo, vem o terceiro. Entretanto, já nos diziam os poetas que em suas latas tudo-nada cabe. E cabe porque eles usam sua licensa poética com sofreguidão.

Maria Rita - embora não seja nem poeta nem letrista (pelo menos que se conheça), mas circula bem pelo círculo dos artistas com talento - não acha necessário denominar o seu primeiro disco de "primeiro", toma a liberdade de nomear o segundo como "homônimo" do lugar que lhe cabe na sequência de sua obra, e renega esta tendência (iniciada pelo segundo, se isso pode ser possível), nomeando o seu terceiro com "Samba Meu". Será que com isso ela esteja tentando dizer que não existe propriamente uma linha evolutiva na sua obra fonográfica? Eu não sei, não quero saber, mas não tenho ravia de quem venha a saber, não. Aliás, deixo aberto o blog para possíveis considerações-intervenções, embora tenha certeza que debates de semelhante natureza não são apreciadas pelos simples aproveitadores de links que visitam este blog.

Independente destas divagações, ela está muito gata. Para comprovar, vide ela participando do especial da Globo sobre o Noel Rosa com aquele vestidinho roxo.

Ah, segue o link do disco






Downloadeie este disco

Um comentário:

Gonzalez disse...

Machista esse comentário, "gata de vestidinho", né?
Você divagou sobre a nomeação dos discos, o que foi muito interessante, e o fez de maneira característica... Sabe que gosto do modo como escreve. Aí, o único "elogio" que direcionou à Maria Rita foi bem sutil. citou que tem talento, apesar de não ser nem poeta e nem letrista.
E daí, num próximo momento "diz" que deixa pra lá as divagações, ela está gata e basta a ver de vestidinho para comprovar... Diminuindo, ao meu ver, a importância de todo o texto para focar que ela é gata de um jeito bem machista.
Eu tenho certeza que você consegue demonstrar toda sua admiração pela aparência de Maria Rita sem ser machista como foi.