quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Pélico















Eu ia começar a apresentação assim: "O cidadão é esse aí acima, dentro da geladeira." Mas, como que instantaneamente, me lembrei de uma situação inusitada; destas que são possíveis somente quando se tem contato com criaturas viventes em Assis Chateaubriand. A história é a seguinte:

Estávamos nós batendo uma pelada num campinho do colégio aqui de Assis. Era, assim, uma ociosa tarde de Sábado. Era uma partida contra uma célebre equipe local, famosa por sua maldade e por uma dupla de zaga que, além de irmãos, são iguais na tendência a criar situações que não existem como pretexto para uma boa confusão. Pois bem, estávamos jogando tranquilamente quando um desses irmãos chegou o reio num dos nossos atacantes, o que gerou de início um rebuliçozinho, que não foi para frente por causa da desistência da vítima em prosseguir com a peleja, mas tendo prometido silenciosamente vingar-se à primeira oportunidade. Eis que a oportunidade não tardou a chegar e o referido vitimado saboreou a vingança ainda quente. Aí, meu camarada, o rebuliço foi dos grandes. Uma discussão desencontrada, ouvia-se referências pejorativas às mães de todos os presentes, enfim, uma tremenda confusão, que teve um fim cômico com o seguinte diálogo incrivelmente ouvido por todos num momento em que nos silenciávamos repentinamente para recuperar o fôlego:

- Mas, rapaz, quem começou com a deslealdade foi o cidadão ali, do seu time!
Ao que retruca o irmão do primeiro desleal:
- Veja lá como fala, rapaz. Nem todo mundo é cidadão aqui, não!

O jogo terminou aqui com o nosso time desistindo do jogo se arrastando em campo de tanto rir, enquanto os adversários não entendiam o motivo de tanta alegria, já que tínhamos perdido o jogo.

Mas não era isso que eu queria falar. Queria simplesmente colocar à disposição de vocês, seis músicas de um cara que chama "Pélico" e que está presente no Trama Virtual. Vale a pena conferir. Segue abaixo o release do cidadão:

"Pélico pensa que compõe, canta e toca guitarra. Já lançou 2 CDs, mas a crítica ainda não se expressou sobre seu trabalho. Nesse momento finaliza seu terceiro CD onde é acompanhado pelo baterista Loco Sosa (Los Pirata, Banzé, Curumim, Arnaldo Antunes, Gork) e pelo baixista Jésus Sanchez (Los Pirata, Gork). Sua música não é revolucionária, nem mistura grandes influências. Não é filho de ninguém e não iniciou nenhum estudo musical com alguém especial. Pélico não foi um menino-prodígio, nunca pertenceu a nenhuma banda e não desenvolveu trabalho em parceria com ninguém reconhecido. Suas músicas nunca foram gravadas por ninguém "mais ou menos famoso", nem ganharam nenhum festival. Ainda não fez turnés internacionais, nem regionais. Em resumo, Pélico está pronto para o estrelato."






Downloadeie este EP

Um comentário:

Cuervo disse...

podem parar de rir que eu não quero saber de demagogia por aqui...